Etiqueta é um conjunto de normas que orientam e definem padrões de comportamento, tornando a convivência mais harmônica e sociável.

A origem da palavra “Etiqueta” esta relacionada com duas referências, grega e francesa, intimamente ligadas com a evolução da sociedade.

Em termos históricos, a palavra francesa “Etiquette” tem seu conceito e apogeu na corte do rei Luis XIV, quando houve o surgimento da padronização dos costumes sociais e à mesa para a nobreza. Também referenciada ao prefixo grego “Ethos” que significa “ética” ou “caráter moral”, usado para descrever comportamentos coletivos. Dessa forma observamos que a palavra “etiqueta” está muito além da mesa, mas sim, intimamente relacionada aos nossos hábitos em sociedade.

Muitas vezes considerada ultrapassada e em desuso, lançando um olhar para a vida contemporânea eu diria que a etiqueta nunca esteve tão necessária e atual. Vivemos num momento de fragilidade do ser humano e a etiqueta é uma ferramenta essencial nessa evolução.

Os três pilares da Etiqueta são: ética, educação e empatia, a partir desses fundamentos compreendemos que as boas relações estão baseadas na prática dessas três palavras, cuja expectativa é de um avanço baseado no respeito.

Além das perspectivas inerentes à comunidade, em relação ao individuo a etiqueta social e à mesa dizem muito sobre cada pessoa. Atitudes educadas e elegantes são, sem dúvida, um cartão de visitas. Saber se relacionar com o outro, comportar-se socialmente e sentar-se à mesa são atributos essenciais.

O “novo normal” nos traz uma reflexão atual e urgente da etiqueta. Nossos padrões sociais antes estabelecidos estão sendo reformulados e exigindo de cada um de nós uma nova compreensão. Distanciamento social, home-office e reuniões online exigem uma atenção muito maior para com o outro. Como perdemos (mesmo que temporariamente) o toque, o abraço e o aperto de mão, a atenção dispensada ao olho no olho, à fala e às respostas se tornaram ainda mais essenciais para que o convívio mesmo à distância, tenha emoção e sentido.

A prática de protocolos sociais, quer sejam chamados de etiqueta ou boas maneiras, valorizam as relações e estreitam laços de trabalho e familiares.

Bons hábitos cultivados em casa no dia a dia se tornam automáticos, sendo reproduzidos no convívio social, valorizando a importância da etiqueta na educação de crianças e jovens.   

Pessoas educadas e elegantes são sempre lembradas, mas o contrário também acontece! Que nossas marcas pessoais sejam a gentileza e a educação em qualquer circunstância, além da mesa!

About Author

Melissa Moutinho

Designer de Interiores, especialista em etiqueta e na arte de receber, criadora do Receber Chic e co-founder do Curso Internacional “Tour Art de La Table” em Paris/França. Meu instagram @melissamoutinho

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *