Organizada pelo Palais Galliera que celebra sua reabertura após dois anos de trabalho, com o apoio da Maison Chanel, esta exposição destaca o nascimento e a evolução do estilo da estilista, as características de seu trabalho, o surgimento de seus códigos e sua contribuição para a história da moda. Parte da herança de Chanel na Rue Cambon e de vários museus internacionais estão reunidos em mais de 350 peças que datam de 1910 a 1971. Esta exposição sem precedentes reconfirma a influência duradoura de Gabrielle Chanel, que transformou para sempre a moda aos olhos das mulheres.

Palais Galliera –  Gabrielle Chanel, Manifeste de Mode Paris, France le 29/09/2020

É incrível e muito difícil de acreditar, mas esta é a primeira grande exposição dedicada ao gênio de Gabrielle Chanel, a designer mais revolucionária do século 20. E foi preciso uma pandemia global para finalmente torná-la realidade em 1° de Outubro de 2020.


Gabrielle Chanel, Manifeste de Mode

O Palais Galliera acolheu “Gabrielle Chanel”. Manifeste de Mode”, a primeira retrospectiva parisiense dedicada ao trabalho da designer que imaginou um novo visual e revolucionou o mundo da moda, acessórios, perfumes, beleza e joias finas. Um olhar sobre sua verdadeira história e suas contribuiçõesemblemáticas para o mundo da moda.

Daniele Maia

A viagem desta exposição começa em 1912 com a abertura de sua boutique em Deauville, e a criação do biquíni em 1916, os primeiros modelos criados por Gabrielle Chanel utilizando técnicas masculinas, mas também tecidos mais macios como tweed ou jersey. Roupas que refletem a funcionalidade e a sobriedade do guarda-roupa masculino e, em particular, a elegância de Étienne Balsan, o primeiro amor de Coco Chanel, o homem que a introduziu no belo mundo da moda. Há também vestidos monocromáticos brancos, beges, azuis meia-noite e pretos com um luxo austero. Lembranças dos vestidos usados em sua adolescência no mosteiro de Aubazine. Na coleção também encontramos vários exemplos do famoso “petite robe noire” consagrado em 1926 pela US Vogue.

Gabrielle Chanel, Manifeste de Mode

Continuando esta imersão no universo de Gabrielle, encontramos peças que mais identificam a maison no imaginário coletivo. São fantasias que Mademoiselle Chanel lançou nos Anos 60, em seu retorno à cena parisiense, após 14 anos de fechamento da Maison devido à guerra na França.

Sapatos bicolores para alongar a perna

O traje, com uma jaqueta macia, leve como um cardigan, e uma saia comprida que repousa sobre seus quadris, data de 1954. O ano seguinte foi dedicado a famosa bolsa 2.55 com corrente no ombro. A partir de 1957 foram os sapatos bicolores, solicitados a Raymond Massaro, em cor bege para alongar a perna, e com uma « biqueira » preta para fazer o pé parecer menor.

Uma jaqueta macia, leve como um cardigan, e uma saia que repousa sobre os quadris (1954)

A exposição “Gabrielle Chanel.Manifeste de Mode” é uma rica experiência em um universo atemporal e impressionante de Coco Chanel. Mas como estamos vivendo uma pamdemia com viagens e eventos cancelados, tive a ideia de seguir a tendência mundial das marcas de luxo e lancei o e.Book da Exposição para divulgar gratuitamente para minha audiência um pouco do esplendor dessa imersão. É importante dizer que para isso contei com o apoio da minha assessora de comunicação, a jornalista e publicitária, Márcia Ávila produziu o nosso e.Book, um material que conseguiu traduzir com muita elegância o universo Chanel da Exposição organizada pelo Palais Galliera em Paris.

About Author

Dani Maia

Fundadora do DMHLuxury Consulting Paris, Business Experiences: Fashion | Beauty | Lifestyle| Travel (França) e sócia- fundadora do “Tour Art de La Table” em Paris. Meu instagram @dmhluxury

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *