O livro de arte “Monet. O triunfo do impressionismo” da Editora Tashen exibe a genialidade do artista em toda a sua complexidade.

Segundo “O bom guia do livro” esta é a única publicação prontamente disponível que fornece “um registro completo do trabalho de Monet – em outras palavras, é definitivo.”

Monet, Mestre do Sublime, o Impressionista essencial (www.taschen.com)

Nenhum outro artista, além de JMW Turner, se esforçou tanto quanto Claude Monet (1840-1926) para capturar a própria luz na tela. De todos os impressionistas, foi o homem que Cézanne chamou de “apenas um olho, mas meu Deus que olho!” que se manteve fiel ao princípio da fidelidade absoluta à sensação visual, pintando diretamente do objeto.

Pode-se dizer que Monet reinventou as possibilidades de cor . Se foi através de seu interesse precoce por gravuras japonesas, seu tempo como recruta na luz deslumbrante da Argélia, ou seu conhecimento pessoal dos principais pintores do final do século 19, a obra que Monet produziu ao longo de sua longa vida mudaria para sempre a maneira como percebemos o mundo natural e seus fenômenos. O ponto alto de suas explorações foi a série tardia de Nenúfares, pintados em seu próprio jardim em Giverny, que, em sua abordagem à quase total ausência de forma, são realmente a origem da arte abstrata.

Esta biografia da editora @taschen faz plena justiça a este artista notável e profundamente influente, e oferece inúmeras reproduções e fotos de arquivo além de comentários detalhados e perspicazes.

O autor Daniel Wildenstein (1917-2001) foi historiador da arte e membro da Académie des Beaux-Arts (Paris). A partir de 1939, foi Diretor das Galerias Wildenstein de Nova York, Londres e Tóquio. Ele editou vários jornais internacionais, por exemplo, a revista Arts de 1956-1962 e a Gazette des Beaux-Arts depois de 1963.  Daniel Wildenstein também co-fundou a Fondation Wildenstein em 1970 e foi o principal motor em muitas exposições de renome internacional. O pesquisador também editou os catálogos de vários artistas dos séculos XVIII, XIX e XX. Ele era uma autoridade mundial em impressionismo e publicou ainda inúmeros catálogos das obras de Gauguin, Manet e Monet.

About Author

Márcia Ávila

Jornalista e Editora da Magazine Lifestyle com pós-graduação em Gestão Organizacional (Adm. de Empresas) e Especialização em Inteligência Competitiva (Eng. de Produção). @marciaavila.mktdeconteudo

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *